Perguntas Mais Frequentes - FAQ

Algumas questões mais frequentes - FAQ que recebemos:


Qual é a vantagem de usar o SEER?

Entre as vantagens facilita o processo de editoração das publicações periódicas científicas eletrônicas.


Quais os processos de editoração que o SEER permite gerenciar?

A princípio o SEER proporciona mais funcionalidade no gerenciamento das equipes editoriais de revistas científicas, e permite maior transparência e eficiência nos critérios de avaliação e de qualidade do conteúdo das publicações.


Como fica a questão de custos de publicações de acesso livre? Será que acabam ao utilizaram o SEER?

A autora Ana Gabriela Clipes Ferreira (2006, p.21) aponta que:

O acesso livre às publicações aumenta o número de leitores atingidos,
bem como a rapidez no fornecimento da informação, porém armazenar arquivos em
meio eletrônico também implica em custos com recursos materiais e humanos:
equipamentos (computadores, scanner, mobiliário), equipe de editores, manutenção
da página e servidores que armazenam os arquivos referentes à publicação. Sem
essa estrutura mínima, a site da revista poderá deixar de existir e a recuperação da
informação será inacessível.


A CAPES tem sugerido adoção da Plataforma SEER?

A CAPES sugere o uso de dois sistemas de editoração eletrônica: o SciELO e o SEER/OJS. Ambos atendem aos requisitos técnicos recomendados pela CAPES, minimizando as diversidades existentes nos formatos disponíveis, muitos dos quais dificultam o acesso dos usuários ao omitir as
informações básicas da publicação na página principal da página do periódico.

Conforme: LIMA, José Fernandes de; RIBEIRO, Renato Janine. Nota: orientação sobre
periódicos nacionais. Disponível em:
<http://www.capes.gov.br/capes/portal/conteudo/10/In_31032006S.htm>

Veja mais: CAPES cria padrão para periódicos eletrônicos nacionais - http://www2.metodista.br/unesco/jbcc/jbcc_mensal/jbcc282/jbcc_polemicas_capes_cria_padrao.html


E a política do CNPq quanto ao uso do SEER?

Também o CNPq tem mencionado a importância do uso da plataforma para as revistas científicas.

O Programa de Apoio às Publicações Científicas do CNPq tem por finalidade apoiar os periódicos científicos brasileiros em todas as áreas do conhecimento, mantidos e editados por instituição ou sociedade científica brasileira de âmbito nacional, que contribua para elevar o nível de qualidade, forma e conteúdo das revistas nacionais dedicadas à C&T.

Requisitos básicos exigidos pelo programa ( http://www.cnpq.br/programasespeciais/editorial/index.htm ) :

a) publicar mais de 50% de artigos científicos e/ou técnico-científicos, gerados a partir de pesquisas originais, não divulgadas em outras revistas;
b) possuir abrangência nacional/internacional quanto a colaboradores, corpo editorial e conselho científico (este, de alto nível);
c) ter circulado regularmente no ano imediatamente anterior à data da solicitação;
d) publicar, no mínimo, 5 (cinco) artigos por fascículo;
e) publicar, pelo menos, 2 (dois) fascículos por ano;
f) não ser revista departamental, institucional ou regional que publique predominantemente trabalhos localizados;
g) atender aos padrões mínimos de normalização da ABNT; e
h) possuir número internacional normatizado para publicações seriadas ISSN
(obtido junto ao Instituto Brasileiro de Informação em C&T -
IBICT).


Qual formato utilizar para uma revista?

Depende da política editorial de cada revista. Cabe lembrar que o formato PDF, é
excelente para o arquivamento em mídias digitas e impressão. No entanto, para leitura
na tela e rápido acesso, o formato em HTML agiliza o processo no sentido em não precisar baixar (download) o documento nem abrir mais um programa para a leitura. Pensar em como utilizar arquivos DOC quando outros não tem o respectivo software para leitura desse documento.

Algumas revistas estão incluindo o MP3 e isto amplia a relação do processo de comunicação.

Além do mais, no caso de RSS a plataforma permite a inclusão desse recurso.


O que significa critérios QUALIS?

Conforme consta no Portal de Periódicos CAPES:

  • QUALIS é uma classificação feita pela CAPES dos veículos utilizados pelos programas de pós-graduação para a divulgação da produção intelectual de seus docentes e alunos, cujo objetivo é atender às necessidades específicas da avaliação da pós-graduação realizada por esta agência.

Essa classificação é feita por 44 comissões de consultores, cada qual focalizando um conjunto específico de áreas do conhecimento, e se baseia nas informações fornecidas pelos programas, por meio do Coleta de Dados/Capes, sobre os trabalhos publicados por seus docentes e discentes.
Anualmente, cada comissão analisa a lista de veículos (periódicos, revistas …) citados pelos programas de sua área, referentes às publicações efetuadas no ano anterior, e adota os seguintes procedimentos:

  • em relação àqueles já anteriormente citados e classificadas, verifica se a classificação está adequada e efetua os ajustes que considera necessários:
  • em relação àqueles ainda não classificados, procede à sua classificação enquadrado-o em uma categoria indicativa de sua qualidade - "A" alta, "B" média, ou "C" baixa - e em outra referente ao âmbito de sua circulação - internacional, nacional ou local.

Veja mais sobre Qualis: http://www.capes.gov.br/avaliacao/webqualis.html

Relação das Revistas brasileiras Qualis no Portal Periódicos CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br/portugues/paginaInicial/qualisNacionais.htm


Quais são os critérios da Scielo para aceitação de publicações periódicas científicas eletrônicas?
Veja os critérios em Seleção de periódicos SciELO Brasil - http://www.scielo.br/avaliacao/avaliacao_pt.htm

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-Share Alike 2.5 License.